lamp bulb tulipsSurge este post de um desafio que um cliente meu me colocou, ao querer transformar 2014 no ano em que os seus colaboradores se vão começar a transformar em empreendedores.

O tema do empowerment colocou-se assim naturalmente, uma vez que é uma das mais poderosas ferramentas de desenvolvimento do empreendedorismo que se conhecem, com impacto elevadíssimo no brotar dos talentos que temos dentro de nós.

De facto, dar poder, ou empoderar, é algo que nos marca para sempre, pelo tipo de resultados que pode gerar na maioria das situações. É curioso constatar a forma como o empowerment me influenciou ao longo da minha carreira e determinou aquilo que hoje sou, seja enquanto líder, seja enquanto liderado.

Sempre que dei saltos quânticos em termos de carreira e de desenvolvimento pessoal, esses saltos estiveram associados a líderes que acreditaram no meu potencial e me pediram para ir mais além, confiando na minha capacidade de superação. O valor que atribuí a esse crédito de confiança e o poder e energia que a necessidade de retribuir e corresponder às expectativas me impôs, fez com que me superasse continuamente, alcançando resultados que jamais imaginaria possíveis.

Chama-se a isso criar uma profecia auto-induzida, ou seja, demonstrar uma expectativa que está para além do perímetro habitual de competência do outro, que ultrapassa a percepção de capacidade instalada que ele tem. Ao fazê-lo, estamos a puxar para a cima a sua perceopção de capacidade, levando-o a acreditar que vai ser capaz de ir mais longe, e reforçando o seu esforço e comprometimento.

E fazem-no de forma totalmente unbossy! É francamente interessante constatar como os contextos mais produtivos surgem de abordagens de liderança mais centradas na responsabilização que no controlo, mais centradas no ensinar do que na penalização do erro, mais centradas na cooperação e na partilha do que na competição desenfreada.

E é isto que é ser unbossy: não significa ser um porreiraço, significa apenas conquistar os outros com uma pandemia positiva, contagiar a equipa com o nosso entusiasmo, que convive perfeitamente com uma elevada exigência.

Foi isto que fizeram comigo, e é isto que tenho tentado fazer com as minhas equipas. E com resultados verdadeiramente entusiasmantes… o talento brotou muito mais do que imaginei e o risco valeu bem a pena ser corrido!

Porque não tentar? Basta ter a coragem de dar aos outros um pedacinho do nosso poder… vão ver que se espalha como pólen ao vento 😉

Deixo-vos com um vídeo fantástico sobre empowerment e criação de valor. Enjoy it 🙂

Advertisements

One thought on “Empowerment: o aditivo do talento

  1. Ainda hoje falo da pessoa que considerei a “minha chefe” com carinho! Foram só alguns que marcaram pela liderança inspiradora, mas basta um para fazer a diferença!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s