IMG_05442013 vai ser seguramente para muitos de nós um dos anos mais duros e marcantes da nossa vida. Por boas e más razões certamente, porque mesmo num contexto em que se configura uma tempestade perfeita, como aquele que vivemos em Portugal, o que a vida nos ensina é que a mesma é sempre feita de coisas boas e más, mesmo que nós só prestemos atenção a uma das categorias.

Se eu quisesse colocar o chapéu do pessimista, recordar-me-ia certamente do que me custou abandonar um projecto empresarial onde coloquei mais de 4 anos de entusiasmo, esforço e trabalho… sim, sair da Alter Via não foi fácil. Mas foi uma grande lição de vida, pela resiliência que foi necessário ter, pelas competências de gestão e negociação que desenvolvi, pelo orgulho que tenho em não ter esquecido nenhum colaborador nem ter deixado nenhum membro da minha equipa desamparado.

Se eu quisesse colocar o chapéu do nostálgico, lembrar-me-ia do Sebastião, o meu felino lindo, companheiro de mais de uma década, que decidiu deixar-nos em Abril passado e seguir viagem para o paraíso dos felinos, mas que o fez com uma lealdade e amizade inesquecíveis, não querendo deixar de passar os seus últimos instantes nos nossos braços. Mas prefiro recordá-lo e homenageá-lo através das memórias que a mais nova felina lá de casa – a Diana – me desperta, com as suas brincadeiras e arranhadelas constantes.

Se eu quisesse colocar o chapéu do dramático lembrar-me-ia de outros entes queridos, que sofrem mais do que deviam e que persistem em permanecer por cá numa prova de supremo afecto e sacrifício por aqueles que amam. Mas prefiro recordar os momentos, mesmo que breves, em que os vejo sorrir.

Em contrapartida a estes chapéus, eu insisto em colocar o chapéu do optimista e do esperançoso. E por isso dou graças por estar exausto, a meio da mais violenta maratona lectiva que alguma vez tive na Católica Lisbon School, o que me fez recordar algo que eu já sabia: a alegria de partilhar o que sei e de tocar na vida dos outros é algo que me preenche de forma tão poderosa, que me faz transcender tão para lá dos limites corriqueiros, que atribui tanto significado à minha jornada neste mundo, que ser professor jamais será uma actividade opcional na minha vida. Não é negociável, pura e simplesmente 🙂

Como esperançoso militante que sou, prefiro celebrar hoje o pequeno feito de ter ajudado uma amiga a arranjar um emprego, após anos e anos a tentar. Pequeno feito para mim, que gostaria de conseguir ajudar um pouco mais as dezenas de pedidos de ajuda que me chegam todos os dias. Mas prefiro celebrar uma pequena vitória de cada vez. E saber que ela tinha tido ontem o seu primeiro dia de trabalho já me fez valer a pena todo o ano de 2013, apesar de ainda irmos a meio da jornada 🙂

Como optimista crónico que sou, não pude deixar de aceitar este mês o convite que os meus amigos João Paulo e Carlos me fizeram para me juntar a eles numa recente e muito fresca aventura empresarial: a Cranberry.

Apesar de ser um annus horribilis em termos de actividade económica, este é também um momento de oportunidades para quem queira arriscar e acredite no seu valor. Por outro lado, ao visitar o escritório da Cranberry, ainda a cheirar a novo, onde pululam profissionais jovens e menos jovens, oriundos dos mais diversos sectores de actividade, mas todos imbuídos de uma alegria, orgulho, boa-disposição e criatividade imparáveis, o único pensamento que me ocorreu foi: como é possível não integrar esta equipa?

E assim aqui estou, mais uma vez a trilhar novos caminhos, com um gosto imenso por esta enorme aventura que é viver 🙂

Deixo-vos com uma pequena peça de reportagem da TVI24 sobre o livro “GRH de A a Z“, da RH Editora, que tive o enorme privilégio de coordenar em conjunto com o meu grande amigo Augusto Lobato Neves, que lidera uma equipa também igualmente fantástica, que todos os anos marca o mundo dos recursos humanos, com publicações e eventos da maior qualidade. Enjoy it 😉

 

Advertisements

2 thoughts on “Crónicas de Tempos Impossíveis III

  1. Olá Ricardo!
    Creio não ser difícil ser-se Otimista quando se tem na(s) equipa(s) tão maravilhosas consultoras e uma bela gata 🙂
    Muitos sucessos e grandes vitórias nas próximas batalhas!
    Abraço,
    FFreitas

    1. Amigo Fernando, de facto com tão excepcional moldura humana e felina, o optimismo fica bem mais fácil 🙂 e por isso mesmo tenho de estar imensamente grato! Obrigado pelas palavras de incentivo 🙂 abraço amigo do Ricardo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s