Surge este post devido às diversas mensagens que tenho vindo a receber sobre o texto que publiquei em homenagem a Steve Jobs, por altura do seu falecimento.

Muitas delas são críticas inflamadas ao post, ou porque são admiradores de Bill Gates (poucos), ou porque odeiam Steve Jobs (uns quantos).

Fui devidamente informado das virtudes do patrão da Microsoft (filantropia, através da Fundação Bill & Melinda Gates, por exemplo, a democratização da computação, etc.).

Fui ainda mais bem informado dos defeitos do líder da Apple (mau feitio, egocentrismo, desprezo pelos concorrentes, desprezo pela liberdade dos utilizadores, etc.).

Pois bem, meus caros, coloquemos os pontos nos i’s:

  • neste blog eu publico a minha opinião, que é só minha e com a qual podem e devem discordar quando tal se justifique;
  • publico todas as críticas e comentários, desde que usem o blog para tal e não sejam incorrectos ou mal-educados;
  • conheço bem os méritos do “tio Bill” e admiro-o bastante – basta consultarem as minhas referências ao mesmo no Mentes Brilhantes;
  • conheço bem os defeitos que o Steve tinha, mas não acho que tal lhe retire o mérito das suas realizações e do seu exemplo.

Sugiro que façam uma breve leitura à biografia não-oficial do Steve: lá terão oportunidade para perceber a grandeza da sua visão e a pequenez dos seus defeitos, mas também perceberão que Steve evoluiu ao longo dos tempos, e cresceu como homem e empreendedor (como qualquer ser humano, aliás).

Ter sido despedido da Apple, ter sido pai ou ter sido vítima de um cancro do pâncreas são apenas exemplos de episódios que o transformaram profundamente, fazendo dele uma pessoa melhor, mais humilde e mais sábia.

Deixo-vos um vídeo da sua apresentação no MacWorld de S. Francisco em 2000. Nesse vídeo, em que ele anuncia o seu regresso como CEO pleno à Apple, Steve é ovacionado de forma entusiástica, mas não hesita em dedicar essa ovação a todos aqueles que trabalharam na Apple com dedicação e empenho. “Um extraordinário trabalho de equipa” e “o melhor trabalho do mundo” são as palavras por ele usadas para definir o que era trabalhar com os profissionais da empresa de Cupertino…

Vejam o vídeo, e digam sff se podemos chamar a este homem egocêntrico 😉

Por fim, deixo-vos outro vídeo, o do famoso discurso de Stanford, mas desta vez legendado em português! É sempre bom revê-lo 🙂

Enjoy it! 😀

One thought on “Ainda sobre Steve Jobs

  1. Caros leitores,

    Deixem só que vos conte que, após a publicação deste post, passei a ser brindado por mensagens cujo vernáculo não posso aqui reproduzir, por uma questão de bom gosto 😉

    Confirmei algo que a vida me ensinou há muito: quando alguém tem mérito, uma forma de o medir é pelo número de medíocres invejosos que passam a dizer mal. Pois o Steve tem muitos desses, mesmo só aqui neste rectângulozito minúsculo que é Portugal.

    Prometo que quando alguém publicar uma crítica inteligente e educada, não deixarei de a publicar e responder. É essa a filosofia do Mentes Brilhantes.

    Abraços,

    Ricardo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s